Era uma vez um homem que vivia em Esposende, ele era medíocre para a cercania. Mas um dia a população revoltou-se e fizeram-lhe um suplício com facas e instrumentos cortantes, e até uma das pessoas passou-lhe com o gume de uma faca no pescoço, e o pescoço começou a ensanguentar-se, ele soergueu, mas logo de seguida correu até a um subúrbio e lá desabrochou a sua vida até que anos mais tarde nessa aldeia viu uma côncava e saltou para dentro obliterou, foi até há ilha da Madeira. Lá encarquilhou e teve uma longevidade.

 Autor: Tiago Pereira de miranda

publicado por Xipsi às 12:14