Um dia ao fim da tarde já eu tinha saído das aulas e ainda antes de entrar em casa ouvia berros, eu pensando que meus pais estavam a discutir, entrei em casa triste mas logo de seguida me animei com a espectacular noticia que meu pai contou.
 Eu contentíssimo com a notícia de ter ganho a lotaria, propus aos meus pais que me deixassem fazer uma viagem pelo mundo com os meus amigos, e os meus pais aceitaram a proposta mas só com uma condição, serem eles a pagar tudo. No outro dia mal acordei fui logo a correr para a escola para os convidar, e todos aceitaram, agora o único problema era escolher os destinos. Então perguntei-lhes, e as respostas não podiam ser mais distintas (Jamaica, Austrália, Brasil, Caraíbas, França, …). Então decidimos tirar á sorte 3 países onde os escolhidos foram França, Brasil e Jamaica e fomos logo á internet comprar os bilhetes para a viagem.
 A viajem era dentro de 2 dias, mas com muita impaciência lá chegou o dia. Finalmente tinha chegado o dia, e lá íamos nós para a França, mas quando chegámos ao aeroporto de Paris deram-nos conhecimento se tinham extraviado acidentalmente para a Austrália do outro lado do mundo e então decidimos passar mais dois dias em França e depois íamos para a Austrália.
 A viajem para a Austrália foi longa e extenuante, mas quando lá chegámos pegámos nas malas e fomos logo para o hotel onde iriamos passar cerca de um mês.
 Mas á segunda semana houve um vírus que atacou o país, ele levava á perda dos sentidos e se não descobrissem rapidamente uma cura poderia levar mesmo á morte, era um vírus raro chamado Herpatisidus.
Nós entramos logo em pânico, e a restante população também, os aeroportos, centos comerciais, escolas, fábricas tudo fechara menos os hospitais que prestavam serviços aos mais afectados.
 Passava uma semana e a quantidade de óbitos atingira os 43% e a Dulce e o Jony, já davam os primeiros sintomas de contrair o vírus, foram dias muito tristes porque os seus sintomas agravavam-se cada vez mais estavam quase a morrer e o pior aconteceu. Agora também eu e os meus restantes amigos estávamos contaminados, os seguintes dias foram angustiantes os meus pais não me paravam de ligar.
 Mas foi então que eu decidi “ Não haverei de morrer de braços cruzados!” e propus ao Joel e ao Gabriel pormos em prática os nossos conhecimentos de Físico Química e Ciências Naturais também eles aceitaram porque tal com eu estavam desesperados. Foram dias e dias sem resultado, já o valor de óbitos ia em 75%, até que descobrimos uma possível cura era a nossa única oportunidade de nos salvarmos e também salvar todos os Australianos.
Então nós ingerimos o possível antídoto, azul e viscoso, nunca antes qualquer um de nós tinha provado tal coisa com esse aspecto e sabor. Mas os dias foram passando e os efeitos do vírus também, então fomos logo a correr o mais que podíamos para o hospital mais próximo para darmos a conhecer o nosso antídoto, pelo caminho só víamos as ruas vazias invadidas por grandes roedores e insectos, quando lá cegámos os médicos fizeram-nos análises ao sangue para comprovar o poder do antídoto e fizeram mais alguns teste e nesse mesmo dia produziram mais de 2milhôes de litros daquele fabuloso líquido, e até tivemos direito a uma grande recompensa.
Mas o mais gratificante foi que salvamos muitas vidas humanas.
 
publicado por Xipsi às 20:19